Mosaicos

A Questão de Ser Justo | Programa de 11 de Agosto de 2011

Quando comumente dizemos fazer jús a alguma coisa, é porque sabemos de antemão, ter adquirido o direito de receber algo em troca do que demos. O próprio termo jús, expressa justiça, direito de merecer, portanto, LEI. Nenhum homem ignorante pode, mesmo que queira, ser justo. O que pode ser justo para um número é a miúdo injusto para o bem estar da coletividade maior. Do mesmo modo também a justiça aparente para uma nação pode ser injusta para a humanidade e a aparente justiça para com esta talvez injusta para o universo. Assim a suposta crueldade da natureza é mera aparência ilusória, criada pela ignorância das mentes, que só podem contemplar a fração infinitesimal do magno problema. Jorge Antonio Oro é nosso convidado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vida Inteligente